domingo, 13 de julho de 2014

Mar aberto de amar

Mergulhei. Eu fui, cheguei, voltei e continuei a ver o mar
Tanto mar, tanto amar, tanto a amar.
Então fui de novo, mergulhei e fui mais fundo.
E quanto mais fundo eu ia, mais fundo percebia que podia ir.
Quando colocava a cabeça para fora do mar, percebia o céu aberto para mim e voltava a mergulhar.
E lá estava eu no mar. Nadando de peito aberto, cheio de ar, cheio de mar, cheio de amar!
Que quando se ama, quanto mais fundo se vai, mais fácil fica de respirar.


2 comentários:

  1. Andressa ferreira14 de julho de 2014 11:08

    Lindo!!! Sabe que vira e mexe eu leio seus textos!!! Gosto muito! Bjus carinhosos!

    ResponderExcluir